FANDOM


Complexo de obras: mais água para RMBH

   Em ritmo acelerado a Copasa se prepara para atender ao aumento da demanda por abastecimento, em função daEditar

Copa do Mundo de 2014, e antecipar metas de 2025. A Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) estáEditar

investindo R$ 1,6 bilhão nos próximos cinco anos para atender a 100% dos moradores da Região Metropolitana deEditar

Belo Horizonte (RMBH) com água. Hoje, o índice já é de mais de 97%. Entre as ações da Companhia, está umEditar

extenso conjunto de obras para ampliação das capacidades de produção, de distribuição e de seus reservatórios,Editar

além de programas de eficientização de recursos para agregar mais confiabilidade e qualidade ao sistema, comEditar

menos custos.Editar

 Cerca de 4,8 milhões de consumidores atendidos pela Companhia, em 31 cidades da RMBH, serão beneficiados.

“Imaginamos que a demanda vá aumentar em função da Copa, mas não temos o valor, até porque nunca sediamos

um evento assim. Por isso, nossa estratégia é estarmos prontos para atender ao aumento que nos for colocado.

Estamos nos posicionando com uma capacidade de produzir e distribuir maior do que a demanda”, explica o gerente

do Departamento Operacional Metropolitano (DPMT), João Andrade do Nascimento. De acordo com o gerente, a

maior dificuldade para se alcançar o abastecimento integral na RMBH é o crescimento desordenado.



ComplexoObras 2.jpg

570 MILHÕES PARA O SISTEMA RIO MANSO

 

 

 O aporte de maior monta – R$ 570 milhões - será feito no projeto de

Ampliação do Sistema Rio Manso para melhorar a eficiência de serviços

prestados pela Copasa e reduzir custos operacionais. As obras de expansão e

modernização começam em março do ano que vem. Na primeira etapa, que

deve ser concluída em dois anos, a capacidade de tratamento de água saltará

de 4 mil litros por segundo para 5 mil litros por segundo.



Na segunda etapa, que deve ser finalizada até 2014, serão agregados outros

1.000 litros por segundo. O sistema é hoje responsável por 26% da água que

chega à RMBH. Com as obras, haverá incremento de oferta de água tratada

para o abastecimento de até 820 mil novos habitantes. Também está prevista a construção de uma Central

Geradora Hidrelétrica (CGH) que utilizará a água residual do próprio sistema para geração de energia para consumo

próprio na unidade.



 Também com foco na ampliação da capacidade de produção, a companhia coloca em operação, no próximo mês, a

Estação de Tratamento de Água (ETA) do Barreiro, com uma capacidade de produção de 170 litros por segundo,

após investimentos de R$ 17 milhões. Já as tubulações de macro e microdistribuição receberão R$ 165 milhões até

2014 para obras de ampliação. As obras serão concentradas nas regiões onde ainda há algum tipo de deficiência no

abastecimento. “O investimento é importante para que o aumento da capacidade de produção se reflita na casa do

cliente”, afirma o gerente.



Sistema Rio das Velhas



  Outro investimento importante é a revitalização do unidade, localizado em Nova Lima, que está recebendo R$ 230

milhões para obras de revitalização e aquisição de equipamentos até 2011. O sistema teve suas operações iniciadas

em 1969 e, atualmente, abastece cerca de 2,2 milhões de habitantes na RMBH, aproximadamente 62% da

população de Belo horizonte e 97% da cidade de Sabará.



ComplexoObras 1.jpg

LINHA AZUL:AÇÃO ESTRATÉGICA

 

 

 Já batizado como Linha Azul, a empreendimento faz parte da ação estratégica

preventiva da Copasa para garantir o abastecimento de água para a população

da RMBH através da expansão do processo de adução e reservação. Os

investimentos, cerca de R$ 160 milhões, estão sendo aplicados desde março

deste ano na implantação de 26 quilômetros de redes de água tratada, que

interligarão os sistemas Rio das Velhas e Paraopeba, além da construção de

dois reservatórios com capacidade total de 40 milhões de litros.

 Ao promover a união desses sistemas, a Copasa vai ganhar mais flexibilidade

operacional, garantindo a manutenção do abastecimento em casos

emergenciais, sobretudo em áreas delicadas como a região hospitalar de Belo

Horizonte. Além disso, as obras vão aumentar a oferta de água para as cidades de Lagoa Santa, Vespasiano, São

José da Lapa e a região do Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, que serão abastecidos pelo sistema

integrado. A previsão de entrega é novembro de 2010.



Adutora de integração



 Como o nome já diz é um projeto de implantação de uma grande adutora de integração. Iniciado em novembro de

2007, com previsão de término para fevereiro de 2010, o empreendimento contempla a implantação de 29

quilômetros de adutoras de 200 a 800 milímetros de diâmetros e a ampliação dos reservatórios Nova Pampulha em

5 mil metros cúbicos, e do Bairro Céu Azul em 15 mil metros cúbicos. A nova adutora, orçada em R$ 82 milhões,

fará a integração do sistema de abastecimento de água do Noroeste da RMBH ao Sistema Integrado Metropolitano.



 As obras vão garantir o abastecimento de água de Vespasiano, Lagoa Santa, São José da Lapa e Aeroporto de

Confins, além de atender à região que é um novo eixo de crescimento, considerando a implantação da Cidade

Administrativa e da Linha Verde, obras do Governo do Estado de Minas Gerais. Ao todo, cerca de 169 mil habitantes

serão beneficiados. Apenas Rio Acima, Sete Lagoas e Caeté ficam de fora dos investimentos, já que não têm

contrato de concessão com a companhia.

 Por fim, não basta somente aumentar a produção de água tratada e a capacidade de transportá-la. É preciso

reservar para os períodos de maior consumo, principalmente para aqueles nos quais a energia elétrica necessária

para o bombeamento é mais cara, entre 19 e 22 horas.



 De acordo com o gerente, a Copasa está investindo R$ 158 milhões para aumentar a capacidade de reservação

(acondicionamento da água nos reservatórios) na RMBH em 72%, até 2014. “Vamos construir novos reservatórios e

ampliar a capacidade dos que já existem. No passado, a questão energética não era tão importante como agora”,

diz o gerente, destacando que o bombeamento para os reservatórios com capacidade maior, fora do horário de pico,

permitirá à Companhia uma economia de energia considerável.

 Nascimento destaca, no entanto, que a Copasa não está investindo apenas no aumento da capacidade de produção,

com aportes em grandes adutoras e estações de tratamento, mas também em eficientização operacional e

energética, inclusive com um programa de combate a perdas na malha de macro e microdistribuição de água em

toda a planta de BH e cidades do seu entorno. “Estamos investindo, entre 2009 e 2012,  R$ 74 milhões para reduzir

as perdas de água decorrentes de vazamentos e pressões elevadas. Hoje, temos perdas equivalentes a 30% do

consumo. Queremos reduzir esse percentual para no máximo 20%”, aponta o gerente.

 Outro projeto importante para a qualidade do serviço prestado pela Companhia ao consumidor, segundo o gerente,

é a implantação de um centro de operações com sistema automatizado de gestão dos ativos de macro e

microdistribuição de água na RMBH, localizado na sede da Copasa, no Bairro Santo Antônio.



ComplexoObras 5.jpg

Centro de Operação de Sistemas

Editar

ComplexoObras 4.jpg

SISTEMA VARGEM DAS FLORES

Editar

Com investimentos de R$ 32 milhões, o centro permite ao operador redirecionar à distância e em tempo real aEditar

distribuição de acordo com a necessidade. “Se há água suficiente para um bairro, mas está faltando em outro, oEditar

sistema detecta e permite que o operador faça a manobra à distância, equilibrando o volume de água disponível”,Editar

detalha Nascimento, destacando que o centro que já em operação, tem permitido que o consumidor não tenha oEditar

abastecimento suspenso quando há manutenções necessárias. “Outra vertente é a otimização dos nossos sistemasEditar

de produção e melhoria nos processos. São R$ 40 milhões para o sistema Várzea das Flores, com obras emEditar

andamento, e R$ 54 milhões no sistema Serra Azul, em preparação para licitação. Esses investimentos permitirãoEditar

não só economia de energia, mas sobretudo darão maior confiabilidade ao sistema”, afirma.Editar

 http://www.copasa.com.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=1654&sid=129 Com essas obras o Governo de

Minas e a Copasa dão mais um grande passo para a universalização dos serviços de abastecimento de água para a

população Minas.

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória