FANDOM


Problemas vão desde vazamentos nas ruas até calçadas lavadas com mangueira. Enquanto isso, outras cidades mineiras adotam medidas para garantir o abastecimento

Calçadas “varridas” com água de mangueira, hidrantes que não param de pingar, torneiras estragadas ou mal fechadas em casas e lojas, toldos lavados com exagero, canos arrebentados em praças e avenidas e ainda os populares “gatos” (furtos). São muitas as causas de desperdício em Belo Horizonte e no interior. Mesmo diante da longa estiagem e consequente redução nos reservatórios, com risco de desabastecimento, a capital segue desperdiçando à vontade, menos quem já percebeu o tamanho da escassez e faz racionamento por conta própria. Enquanto isso, outras cidades mineiras adotam medidas para garantir o abastecimento.

Para quem gosta de ficar muito tempo no banheiro, é bom saber que 30% do consumo doméstico vai para sanitários, chuveiros e pias. E mais: 10 segundos apertando a descarga representam 20 litros descendo pelo vaso. Uma boa notícia é que, segundo a Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa), o consumo médio diário de água na capital e região metropolitana é de 200 litros por habitante, o dobro do preconizado pela Organizaç

POÇO ARTESIANO

sosriosdobrasil.blogspot.com

ão Mundial de Saúde (OMS). Mesmo com a boa oferta, é bom ficar atento às dicas de economia.

A água caindo do hidrante chamou a atenção de Renata Melo, casada, mãe de dois filhos, moradora do Bairro Bandeirantes, na região da Pampulha. Aproveitando o horário do almoço para fazer caminhada, ela se surpreendeu ao ver o equipamento com defeito na esquina da Avenida Novara

 com a Rua Palermo. “Na terça-feira, houve um vazamento grande do outro lado da rua. Esguichou muita água mesmo, veio uma equipe e fez o reparo”, diz Renata, indicando um trecho do passeio recém-cimentado e com faixa de segurança. “De gotinha em gotinha vamos perdendo um bem que vale ouro”, afirmou a gestora de processos industriais.

Mãe de dois adolescentes, Renata lembrou que a consciência é o mais importante para evitar perdas. “Em casa, fazemos o controle do consumo mensal de água para

não passarmos do limite. Fico com medo de haver racionamento e sermos obrigados a acabar com a nossa horta. Água vale ouro e temos que saber bem disso”, ensina, lembrando que também aproveita água da chuva.

Basta andar pelos bairros, em todas as regionais da capital, principalmente pela manhã, para ver que a vassoura sempre é substituída pela mangueira na hora da faxina. Nessa sexta-eira não foi diferente, quando a reportagem do Estado de Minas percorreu bairros de classe média alta e de baixa renda. Na Rua Martin Luther King, no Cidade Nova, Região Nordeste, Elias Vieira de Jesus, empregado de uma casa, lançava a água para, segundo ele, “tirar o pó de asfalto, areia e resíduos” que ficam na calçada. Moradora do endereço há 42 anos, a proprietária Nancy Maria Ferreira explicou que o passeio, agora, só é lavado uma vez por semana. “A gente fica preocupada, pois pode faltar água”. Ouvindo a conversa, Elias complementou: “O planeta precisa desse recurso, sem ele não tem vida”. E fechou a torneira.
20140315011728857645i

Disponível em: http://www.em.com.br/app/noticia/gerais/2014/03/15/interna_gerais,508128/risco-de-desabastecimento-e-racionamento-de-agua-nao-evita-desperdicio-em-bh.shtml


Já na Rua Gustavo da Silveira, no Instituto Agronômico, Região Leste, o aposentado Nilton Ramos lavava tranquilamente a calçada. “Só faço isso de 15 em 15 dias. E aproveito para molhar o meu pezinho de boldo”, apontou a planta de poderes medicinais em frente à casa. 

Na Avenida Silviano Brandão, no Bairro Floresta, funcionárias de lojas de móveis também se dedicavam ao trabalho – com muita água. “Aqui tem muita poeira, então não tem outro jeito”, revelou uma faxineira. Quase ao lado, outra empregada explicava que “isso só ocorre uma vez por mês”. 

20140315011725202359i

Dicas para evitar desperdício  de água:


» Se notar variação anormal de consumo em sua conta, procure localizar possíveis fontes de vazamento, como va sos sanitários e torneiras

» Antes de lavar a louça na cozinha, retire os restos de comida e mantenha a torneira fechada enquanto estiver ensaboando

» A mesma água pode ser usada mais de uma vez nas atividades domésticas. Um bom exemplo 

é aproveitar a água armazenada em balde para lavar carro, pisos ou outros locais da casa

» Água não é vassoura. Evite “varrer” a calçada com água. 

» Se possível, acumule o máximo de roupas para lavá-las de uma vez só. Enquanto escovar ou ensaboar as peças, a torneira deverá ficar fechada

» Ao fazer a barba ou escovar os dentes, mantenha a torneira fechada.  Abra somente quando e pelo tempo necessário

» Banhos demorados devem ser evitados. Somente cinco minutos são suficientes para higienizar todo o corpo. Barbear ou lavar peças de roupa são práticas que devem ser evitadas debaixo do chuveiro

» Quando for lavar o carro, reserve a água em um balde. Assim não haverá tanto desperdício

.

A água que consumimos, retirada de poços artesianos, apresenta boa qualidade quanto à pureza bacteriológica, porém, deixa a desejar na parte física e química.

A água potável distribuída pela COPASA apresenta um alto índice de dureza (quantidade de minerais nela dissolvidos, presença de calcário) e outros materiais em suspensão, além de não ter um sabor agradável, obrigando todos nós conviver e absorver os prejuízos: 

- Compra periódica de garrafão de água mineral.

- Redução da vida média das resistências elétricas pelo acúmulo do calcário, aumentando o consumo de energia dos chuveiros, saunas e aquecedores. Com isto, há uma gasto maior com a

20140315011955604460a

 manutenção.

- Desagradável limpeza periódica da grelha dos chuveiros e dos filtros instalados 

na rede próximo ao hidrômetro. Uma observação: o consumidor arca com a despesa de completar o tratamento da água, instalando este sistema de filtragem, que deveria ser obrigação da empresa prestadora de serviços.

- A água fica mais turva quando há manutenção e limpeza da rede de distribuição, visto que a maior parte da rede foi construída nas décadas de 70 e 80, com poucas caixas de descarga, o que provoca o fluxo de impurezas nas próprias residências.

- Gasto maior com produtos de limpeza (sabão e detergente). Os talheres de aço inox, metais, torneiras, copos de vidros, perdem o brilho; panelas, canecos de ferver água ficam impregnados de calcário; e donas de casa queixam da qualidade final da roupa após lavar.

A Secretaria da Saúde e a propria Copasa informam que a água ingerida não faz mal. Mesmo assim, parte da população fica receosa em beber, prevenindo contra o cálculo renal.

Tais problemas e discussões só terminarão quando o nosso sistema de abaste

cimento for interligado ao de Belo Horizonte, onde a origem da água é de fontes naturais, como rios e barragens.

Livrando a água dos resíduos da calcificação, que pode ser comparado ao mau colesterol presente no corpo humano, teríamos: •Menor calcificação nas peças;• Maior duração das torneiras;• Àgua mais límpida e purificada;• Economia nos custos de reparação e manutenção. 


É bom lembrar que a exploração dos serviços de abastecimento da água potável é uma concessão do município para a Copasa.
Assim, a Prefeitura poderia sempre exigir uma qualidade melhor da água e um eficiente serviço de coleta de esgoto.
O consumidor desconhece sua força para lutar por seus direitos perante as empresas prestadoras de serviços publicos.
obs.: Hoje, o maior volume de água consumida vem de poços artesianos da região de Confins. Por isto melhorou o aspecto turvo da coloração. 
A maioria dos poços artesianos localizados na margem da lagoa central estão desativados. Somente o que atende o bairro da Várzea está em operação. 



Copasabh

 

Agua
Caneco cafe




Chuveiro
Filtro externo

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória